quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O dia em que me tornei puta


Este é o início de tudo,o dia em que deixei de ser, a mulher séria,esposa dedicada, só com olhos para o sem marido e me tornei na maior puta de todas.

Sempre tinha defendido que o ser humano é atreito a traições, mas, pensava eu que com o casamento teria que me conformar em comer a mesma pila até o resto dos meus dias. Como estava enganada!
O meu santo maridinho, de santo não tinha nada. E vejam la a minha sorte, queria ver-me a ser comida por outro. Confesso que ao principio pensei que estivesse a testar a minha fidelidade, mas nao é que o dito cujo tinha mesmo vocação para corno?

Durante meses nao se falou de outro assunto la em casa.
-Podias dar-me esse prazer amor! Vais gostar de certeza!

Eu fazia-me de pudica, mas estava danadinha por levar com outro. Um belo dia la acedi a vontade do rapaz, mas com a condição de que seria comida por dois ao mesmo tempo. Foi o que ele quis ouvir.

-Sabes amor sei de um site de encontros e podiamos por um anúncio com umas fotos tuas a ver no que da.

Vejam la a natureza do cabrão, que até já tinha um plano!

Lá se pôs o anúncio, com umas fotos toda aberta e depois de muito joio,la se chegou ao trigo e o terceiro elemento foi escolhido.


Combina-mos um jantar para os interessados se conhecerem e ver o que a coisa ía dar. Deixem-me que vos diga que o escolhido me saiu melhor que encomenda. Lindo, super divertido, cheiroso, enfim...um tesão de homem!
O jantar correu as mil maravilhas, boa conversa, boa comida, os elementos masculinos até tinham a mesma preferência clubistica,o que ajuda sempre a conversa.

O problema veio depois...para onde vamos? O que fazemos?
Confesso que naquele momento já tinha a cona toda húmida e uma vontade imensa de sentir aquele pau. Como ninguém se decidia, o meu marido que ja me conhece e sabia que eu tinha gostado do amigo diz:
-Querem ir para um motel?

Eu engoli em seco e rezei aos santinhos todos para que o outro dissesse que sim. Todos estivemos de acordo e la fomos para um quarto.

Quando entramos aquilo mais parecia uma espelunca, mas a tusa era tanta que os sentei aos dois na cama e enquanto o meu marido ficou a observar,eu comecei a beijar o outro homem e a despi-lo lentamente. Deitei-o na cama e mal vi aquele caralho tratei de chupa-lo com gosto.Entretanto o meu marido veio por traz e enrrabou-me enquanto eu me deliciava com aquele belo broche. Foi a puta da loucura, sentir um pau, enquanto mamava noutro.

Em seguida, montei o amigo colorido, enterrei aquele pau bem fundo na minha cona e vai de mamar no corno manso! Foi lindo ver a tesão nos olhos do meu marido...foi brutal!

Logo em seguida continuei montando o amigo, agora de frente para ele e eis que o meu marido vem por traz e me enrraba! Foi o delírio total sentir-me toda preenchida por dois belos paus. Vim-me logo,nao consegui aguentar. Resolveram depois trocar o que me comia o cú, agora estava na cona e vice versa! Não sei quantas vezes me vim ou eles...nao deu para contabilizar, só sei que nunca engoli tanta esporra como naquele dia, nunca fiquei tao aberta, nem vi tanto prazer e tesao juntos.
Foi foder como se nao houvesse amanha,e acreditem ou nao até o amanhecer...

3 comentários: